Novo programa do IBGC propõe comunidade de aprendizagem virtual voltada à governança e inovação

Jornada de desenvolvimento inédita será exclusiva para associados

  • 15/04/2020
  • Equipe IBGC
  • Cursos
backgroundImageAlt1

Kip Garland, professor e especialista em Inovação e Física

A fim de promover debates, trocas de experiências e testar insights sobre governança e inovação, o IBGC preparou um programa virtual inédito baseado no conceito de learning community ou comunidade de aprendizagem, em tradução livre. 

O formato inovador de desenvolvimento se apoia no compartilhamento de problemas complexos sobre inovação e governança e na criação conjunta de soluções para os temas emergentes entre a comunidade.

Idealizada e coordenada pelo professor e especialista em Inovação e Física, Kip Garland, com o auxílio de um grupo multidisciplinar composto por executivos e conselheiros, a iniciativa terá início com um grupo alumni dos cursos de Inovação do IBGC. Após esse primeiro encontro, o programa será aberto para interessados associados ao instituto.

Na visão de Garland, as abordagens educacionais clássicas, com papeis fixos entre professores e alunos, não são mais suficientes. “As pessoas querem interagir e compartilhar conhecimentos de forma horizontal”, defendeu. Segundo ele, a comunidade de aprendizagem abordará aspectos como a descontinuidade dos processos corporativos atuais.

O ponto de partida dessa learning community digital será facilitado por participantes das três primeiras turmas do curso de Inovação do IBGC. A ideia é que eles desenvolvam em grupo o conceito de sandbox, considerando as influências da inovação na governança.

A criação da learning community virtual se apoiou em um formato ágil e inovador de desenvolvimento de projetos: o scrum.  A product owner do programa, Célia Assis, explicou que o propósito do curso é criar impacto, trazendo novas lentes e abordagens para a gestão da inovação, principalmente nesse momento de incertezas. De acordo com ela, todo o conteúdo está ancorado em um framework de inovação muito robusto e já aplicado em grandes organizações com sucesso.

Na experiência do gerente de Educação Corporativa do IBGC, que atuou como scrum master na construção do programa, Rodrigo Trentin, um dos pontos mais importantes do processo de criação do curso foi a interação de um grupo de especialistas com experiências diversas para preparar um produto alinhado com o que há de mais importante sobre inovação. 

Facilitador do projeto e ex-presidente GE Hydro, Livaldo Santos frisou que, ao invés de matar projetos inovadores, as empresas precisam criar uma cultura de inovação em suas equipes. Santos, que facilitará interações de grupos dentro da comunidade de aprendizagem, defendeu que será uma postura inovadora que sustentará as organizações no futuro. 

O pesquisador Mário Bracco, cocriador do curso, vê o novo programa do IBGC como uma oportunidade de testar na prática, em um período realmente disruptivo e único, os aprendizados sobre inovação obtidos anteriormente. “Juntaremos o conhecimento de três turmas por meio de uma comunidade que crescerá naturalmente”, completou.

Já o membro do squad e ex-presidente de EDP Renováveis, Renato Volponi afirmou que proposta de uma comunidade de inovação, em que todos terão a oportunidade de trocar experiências, vem ao encontro das grandes dúvidas das lideranças de empresas ou projetos nesse momento. “A ideia de estar em um grupo em que a confiança permite que se compartilhe dores recorrentes e os papéis de instrutor e participante têm uma dinâmica diferente parece responder a uma demanda atual”, concluiu.


Confira as últimas notícias do Blog do IBGC

01/12/2021

A COP26, a governança e o greenwashing

01/12/2021

“Crise climática é crise coletiva: desastrosa para os humanos e péssima para os negócios”

30/11/2021

Instituto comemora aniversário com a Semana IBGC Educa

26/11/2021

Está aberto o processo eleitoral para novo mandato do CA do IBGC

26/11/2021

COP26 Download: “o Brasil é muito mais solução do que um problema”

25/11/2021

“Matriz de materialidade deve orientar organização como uma bússola”