Mulheres representam 15% dos conselhos e diretorias, aponta IBGC

Se faz urgente o investimento em práticas e ações que promovam a diversidade e a efetiva inclusão de mulheres em empresas de capital aberto

  • 17/03/2023
  • Da redação
  • Portal do Conhecimento

Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) aponta que há 15,2% de mulheres dentre os 6.160 profissionais que compuseram a amostra nos conselhos de administração, fiscais e nas diretorias das companhias de capital aberto. Trata-se da terceira edição da pesquisa Análise da participação das mulheres em conselhos e diretorias das empresas de capital aberto. Ao se comparar os números com as edições anteriores, é possível notar um contínuo crescimento: em 2021, eram 12,8% de mulheres, passando para 14,3% em 2022 e atingindo 15,2% na edição atual.

Para Valeria Café, diretora de Vocalização e Influência do IBGC, apesar dos avanços, há um longo caminho a percorrer. “Os números mostram que as organizações precisam ser ainda mais sensibilizadas a entender que diversidade gera valor. Quando encontramos perfis diversos nos conselhos de administração, a organização tende a se beneficiar de mais pluralidade na construção de seus argumentos, mais inovação e, consequentemente de um processo de tomada de decisão com maior qualidade e segurança”.

Analisando os dados, torna-se relevante destacar que as 938 posições de liderança ocupadas por mulheres não se referem necessariamente a profissionais diferentes, uma vez que algumas delas atuam em mais de uma companhia simultaneamente. Além disso, o estudo mostra que o baixo percentual de mulheres em posições de liderança não é exclusivo de um determinado setor, já que é observado em todas as companhias, independentemente do tipo de controle acionário ou do segmento de negócios.

Valeria complementa: “Isso mostra que falta alguma coisa, apesar das questões de diversidade serem mais amplamente discutidas. Aqui no IBGC recomendamos que para que as mudanças esperadas sejam estruturais, efetivas e aceleradas, as organizações divulguem suas metas e métricas sobre diversidade, em quantidades e prazos definidos, por exemplo”, complementa Valeria.

Veja destaques do levantamento:

- 389 companhias compuseram o estudo;
- 82,5% das companhias têm alguma mulher na liderança;
- 65,8% das companhias têm mulheres atuando no conselho de administração;
- 52,3% das companhias têm mulheres atuando no conselho fiscal;
- 49,2% das companhias têm mulheres atuando na diretoria;
- 25,0% das companhias têm mulheres atuando no conselho de administração e na diretoria concomitantemente.

Sobre a pesquisa 
A 3ª edição da pesquisa “Análise da participação das mulheres em conselhos e diretorias das empresas de capital aberto” utilizou dados de 389 companhias, que têm, conjuntamente e ao todo, 6.160 profissionais atuando em seus conselhos de administração, conselhos fiscais, diretoria ou, concomitantemente, no conselho de administração e na diretoria. A pesquisa foi desenvolvida a partir de informações secundárias extraídas do Portal Dados Abertos CVM. A base utilizada foi a dos Formulários de Referência de Cias Abertas (2022), datada de 23/01/2023 e extraída em 23/01/2023, que se refere ao exercício social do ano de 2021 e com dados divulgados pelas companhias abertas no Formulário de Referência (FRE) de 2022.

Confira as últimas notícias do Blog do IBGC

18/07/2024

Capítulo Ceará promove visita técnica para associados

17/07/2024

Conheça as Métricas IBGC para autoavaliação das empresas

16/07/2024

“Governance Officer vai além de um cargo, é uma função”

16/07/2024

Confira ações da Lifelong Learner neste 1º semestre de 2024

12/07/2024

Nota de pesar pelo falecimento de Hsieh Yuan

12/07/2024

IBGC acompanha reunião do Fórum Interconselhos